Os deputados João Leite e Sargento Rodrigues estiveram na segunda-feira (17/7/17), em Santa Margarida, na Zona da Mata, para conhecer as circunstâncias da morte do cabo Marcos Marques da Silva, de 36 anos e do vigilante do Banco do Brasil, Leonardo José Mendes, de 53 anos, ocorridas no último dia 10 numa tentativa de assalto ao banco da cidade. Eles também visitaram as viúvas.

A falta de efetivo em Santa Margarida foi constatada pelos deputados da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais na visita ao Destacamento da Polícia Militar do município, que tem cerca de 15 mil habitantes e havia grande movimentação naquele dia por causa de pagamentos de servidores e também os referentes à cafeicultura, uma das principais atividades econômicas do município.

Segundo o tenente Marcelo Moreira, comandante do Pelotão de Matipó (Zona da Mata), ao qual o destacamento de Santa Margarida é subordinado, a cidade conta com nove PMs na sede e três no distrito de Ribeirão de São Domingos. As escalas, de 8 às 19 horas e de 19 às 5 horas, contam sempre com dois policiais, efetivo presente no dia do crime. Até abril de 2016, cinco policiais atuavam na sede, quando o número foi ampliado em virtude da explosão de caixas do Banco do Brasil. 

Baixo efetivo é criticado

Para os deputados o fato de a cidade contar com apenas dois policiais por escala contribuiu para o ocorrido. “O destacamento não podia ter só dois PMs naquele momento, a capacidade de resposta aumenta com mais profissionais”, argumentaram os parlamentares.

João Leite e Sargento Rodrigues defenderam o trabalho preventivo, através de escutas e do serviço de inteligência, já que o município está na rota dos assaltantes de bancos.

A gerente do Banco do Brasil de Santa Margarida e secretária do Conselho Comunitário de Segurança Pública da cidade, Raquel Maria Ribeiro Dias da Silva, ressaltou a demanda por investimentos na área: “desde a explosão de caixas no ano passado, fizemos um abaixo assinado para que um pelotão se instale na cidade no lugar do destacamento. Santa Margarida atende aos critérios para isso”, afirmou.

Deputados prestam condolências

Os deputados também visitaram a viúva do cabo Marcos, Dulcilea Amaral Marques, que reside em Manhuaçu e a viúva do vigilante Leonardo, Luzia Abreu dos Reis Mendes, que vive em Santa Margarida para prestar solidariedade e apoio jurídico.